Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

BALANÇO MENSAL - JANEIRO

Vamos direto a ponto: 2016 começou com tudo no plano cinematográfico. Nada menos do que 51 filmes vistos, sendo 47 inéditos e 4 revistos e ainda amados. Seguem abaixo a trinca de preferidos e a relação completa dos títulos vistos com diretores e notas, além dos melhores em algumas categorias que considero importantes.

PÓDIO

MEDALHA DE OURO

45 anos (Andrew Haigh, 2015)



Silêncios, olhares e respirações constituem o cerne desse conto intimista sobre um casal de união longeva. A descoberta de um elo forte do marido com o passado transforma e transtorna o cotidiano de uma professora aposentada que demonstra ter gastado boa parte de suas forças em prol daquele casamento. Como se trata de um recorte da vida de ambos, parte do que podemos saber são inferências, mas o empenho dela em festejar quatro décadas e meia de convivência é prova nítida de amor e esforço. A narrativa se desenvolve inebriada pela névoa londrina e esfumaça os sentimentos de uma mulher que descobre outra vida na sua vida.

MEDALHA DE PRATA


Os oito odiados (Quentin Tarantino, 2015)



Tarantino continua prolixo, mas está menos barrigudo. Sangue e neve se misturam na trama mirabolante que reúne oito delinquentes interessados apenas em seus respectivos quinhões. Poucos eventos acontecem - alguns deles são passado -, mas os diálogos estão hiperafiados, para deleite dos entusiastas do realizador, bem como dos que apreciam uma boa escrita vertida para o diálogo. A verborragia violenta se alia a ações violentas de todos, obrigados e conviver por tempo indeterminado em uma cabana que oferece abrigo contra uma nevasca das fortes. Os ouvidos também agradecem mais uma trilha assinada por Ennio Morricone.

MEDALHA DE BRONZE

Confidências à meia-noite (Michael Gordon, 1959)



Estrelada pela graciosa Doris Day e pelo charmoso Rock Hudson, na primeira de suas três parcerias -, esta comédia romântica pouco tem a oferecer de novo, ainda que seja precursora de um monte de outros exemplares do subgênero. Mas quem se importa? Uma receita de bolo seguida com cuidado e feita com carinho gera um ótimo resultado e, portanto, é muito bem-vinda. Os desencontros entre uma mulher sonhadora no amor e um canalha em processo de regeneração funcionam belamente e deixam o coração mais leve, mesmo que todos saibam que o roteiro de um filme quase nunca pode ser reproduzido na vida real.

INÉDITOS


1. Uma lição de amor (Ingmar Bergman, 1954) -> 8.0

2. Sentimentos que curam (Maya Forbes, 2014) -> 6.0
3. Relíquia macabra (John Huston, 1941) -> 8.0
4. Amizade colorida (Will Gluck, 2011) -> 4.5
5. Matar ou morrer (Fred Zinnemann, 1952) -> 7.5
6. Jauja (Alejandro Alonso, 2014) -> 8.0



7. Ajuste final (Ethan e Joel Coen, 1990) -> 7.5
8. 45 anos (Andrew Haigh, 2015) -> 8.5
9. A morte num beijo (Robert Aldrich, 1955) -> 7.0
10. Ligeiramente grávidos (Judd Apatow, 2007) -> 7.0
11. 007 contra o satânico Dr. No (Terrence Young, 1962) -> 7.5
12. Louca escapada (Steven Spielberg, 1974) -> 7.0
13. Música, amigos e festa (Max Joseph, 2015) -> 6.0



14. Jumper (Doug Liman, 2008) -> 6.0
15. Complicações do amor (Charlie McDowell, 2014) -> 7.0
16. O silêncio do lago (George Sluizer, 1988) -> 8.0
17. Distante (Nuri Bilge Ceylan, 2002) -> 8.0
18. Before we go (Chris Evans, 2015) -> 7.5
19. A demora (Rodrigo Plá, 2012) -> 7.5
20. O sorgo vermelho (Zhang Yimou, 1988) -> 7.0
21. O cidadão do ano (Hans Petter Moland, 2014) -> 8.0
22. 10 anos de pura amizade (Jamie Linden, 2011) -> 7.0



23. O clã (Pablo Trapero, 2015) -> 7.5
24. Os oito odiados (Quentin Tarantino, 2015) -> 8.5
25. Miami vice (Michael Mann, 2006) -> 7.0
26. Spotlight - Segredos revelados (Tom McCarthy, 2015) -> 6.0
27. Havaí (Marco Berger, 2013) -> 8.0
28. Garota sombria caminha pela noite (Anna Lily Amirpour, 2014) -> 8.0
29. Confidências à meia-noite (Michael Gordon, 1959) -> 8.0
30. A grande aposta (Adam McKay, 2015) -> 7.0 
31. Steve Jobs (Danny Boyle, 2015) -> 5.0



32. Boa noite, mamãe (Severin Fiala e Veronika Franz, 2014) -> 7.5
33. Por um triz (Carl Franklin, 2003) -> 7.0
34. Terapia do amor (Ben Younger, 2005) -> 6.0
35. Roubo nas alturas (Brett Ratner, 2011) -> 6.5
36. Caçada humana (Arthur Penn, 1966) -> 8.0
37. O estranho que nós amamos (Don Siegel, 1971) -> 8.0
38. O segredo da cabana (Drew Goddard, 2012) -> 5.0



39. Sr. Holmes (Bill Condon, 2015) -> 7.0
40. O nome do jogo (Barry Sonnenfeld, 1995) -> 6.0
41. O terceiro homem (Carol Reed, 1949) -> 8.0
42. Domingo maldito (John Schlesinger, 1971) -> 7.0
43. RED - Aposentados e perigosos (Robert Schwenke, 2010) -> 6.0
44. Apertem os cintos... o piloto sumiu! (Jim Abrahms, David Zucker e Jerry Zucker, 1980) -> 8.0
45. Janela secreta (David Koepp, 2004) -> 6.5
46. Breaking news - Uma cidade em alerta (Johnny To, 2004) -> 8.0
47. Victoria (Sebastian Schipper, 2015) -> 7.5

REVISTOS


Você vai conhecer o homem dos seus sonhos (Woody Allen, 2010) -> 8.0
Antes do amanhecer (Richard Linklater, 1995) -> 9.0
Antes do pôr do sol (Richard Linklater, 2004) -> 9.5
Antes da meia-noite (Richard Linklater, 2013) -> 10.0

MELHOR FILME: 45 anos
PIOR FILME: O segredo da cabana
MELHOR DIRETOR: Quentin Tarantino, por Os oito odiados
MELHOR ATRIZ: Charlotte Rampling, por 45 anos
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Jennifer Jason Leigh, por Os oito odiados
MELHOR ATOR: Michael Fassbender, por Steve Jobs
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Samuel L. Jackson, por Os oito odiados
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Quentin Tarantino, por Os oito odiados
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: Andrew Haigh, por 45 anos
MELHOR TRILHA SONORA: Ennio Morricane, por Os oito odiados
MELHOR FOTOGRAFIA: Garota sombria caminha pela noite
MELHOR CENA: A dança da festa de bodas em 45 anos
MELHOR FINAL: 45 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário