Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

RETROSPECTIVA 2013: MELHORES FILMES FORA DO CIRCUITO

Depois de apresentar os meus filmes preferidos lançados no cinema ao longo de 2013 em algumas categorias, aproveito o clima de retrospectiva que invade o mês de dezembro para revisitar em palavras  os longas-metragens fora do circuito comercial a que assisti este ano. 

A lista abaixo contém os 30 melhores filmes que passaram diante dos meus olhos dentro de casa. No ano em que, finalmente, aprendi como se fazem downloads e tive mais disponibilidade de tempo, a quantidade de produções vistas foi enorme, como jamais havia sido em anos anteriores. Reunir aqueles que mais valeram a pena é uma forma de reafirmar o quanto são importantes para mim e de chamar a atenção dos que ainda não o conhecem ou dos que já os viram, mas não gostaram tanto e, assim, poder dar uma nova chance a eles.

Como as demais listas que publiquei nessa retrospectiva, esta também foi posta em ordem de preferência, mas com um detalhe fundamental. Nos casos de empate de notas - que não foram poucos, o segundo critério foi recorrer à ordem alfabética. Sendo assim, ao se notar filmes nessa ordem no interior da lista, há que se lembrar que eles são igualmente amados, embora por motivos diversos, e que os números que o acompanham são mera exigência de uma lista, onde os itens vêm um após o outro. Outro detalhe importante é que decidi não repetir diretores e, assim, tornar a lista também um painel de cineastas. Alguns, como Brian De Palma e Michelangelo Antonioni, só me deram filmes maravilhosos este ano, entretanto, optei por deixar que apenas um os representasse. De brinde, há 5 menções honrosas ao final.

Eis a minha seleção de ouro, que também serve para comprovar que nem só de lançamentos é feito um ótimo ano cinéfilo:

1. Antes do pôr do sol (2004), de Richard Linklater


2. Casablanca (1942), de Michael Curtiz


3. Mutum (2007), de Sandra Kogut


4. A montanha dos sete abutres (1951), de Billy Wilder


5. A palavra (1955), de Carl Theodor Dryer


6. A rotina tem seu encanto (1962), de Yazujiro Ozu


7. Um sonho de liberdade (1994), de Frank Darabont


8. Zabriskie Point (1970), de Michelangelo Antonioni


9. Cantando na chuva (1952), de Gene Kelly e Stanley Donen


10. A estrada perdida (1997), de David Lynch


11. Um lugar ao sol (1951), de George Stevens


12. Uma primavera com minha mãe (2012), de Stéphane Brizé


13. 800 balas (2002), de Álex de la Iglesia 


14. Além da linha vermelha (1998), de Terrence Malick


15. Antes que o diabo saiba que você está morto (2007), de Sidney Lumet


16. Ato final (1970), de Jerzy Skolimowski


17. Os cowboys de Leningrado vão para a América (1989), de Aki Kaurismäki


18. Dois destinos (1962), de Valerio Zurlini


19. Duas garotas românticas (1967), de Jacques Demy


20. Dublê de corpo (1984), de Brian De Palma


21. Ed Wood (1994), de Tim Burton


22. A embriaguez do sucesso (1957), de Alexander Mackendrick


23. O grande ditador (1940), de Charles Chaplin


24. Harakiri (1962), de Masaki Kobayashi


25. Lua de papel (1973), de Peter Bogdanovitch


26. O medo devora a alma (1974), de Rainer Werner Fassbinder


27. Meu amigo Totoro (1988), de Hayao Miyazaki


 28.Noite vazia (1964), de Walter Hugo Khouri


29. O raio verde (1985), de Eric Rohmer


30. Réquiem para um sonho (2000), de Darren Aronofsky



MENÇÕES HONROSAS

Nunca aos domingos (1960), de Jules Dassin


Repulsa ao sexo (1965), de Roman Polanski



Rosetta (1999), de Jean-Pierre e Luc Dardenne


São Paulo S.A. (1965), de Luiz Sérgio Person


O substituto (2011), de Tony Kaye


Nenhum comentário:

Postar um comentário